AUTOEXCOMUNHÃO*

22/09/2017 07:58

 

1. Como ocorre?

 

Quando o membro de uma igreja local não comparece, a muito tempo, a ceia do Senhor (1), celebrada por esta igreja; quando o membro não comparece aos cultos regulares de uma igreja local de forma contínua a um tempo expressivo (2); quando o membro de uma igreja local, por atos incompatíveis de conduta cristã, não atende as convocações emitidas pelo pastor para aconselhamento e tratamento (3).

 

2. As consequências.

 

2.1 Em qualquer um destes casos o pastor titular da igreja local desobriga-se de emissão de qualquer documento sobre o parecer deste membro.

 

2.2 Em qualquer um destes casos o referido membro fica excluído automaticamente de todas as funções, cargos ou atividades que ocupava na igreja local.

 

2.3 Não dando um parecer ao pastor pela sua ausência, este membro fica pendente toda a sua ligação com a igreja local.

 

2.4 Considerar-se-á um desigrejado. E nesta condição, não faz parte da comunhão do corpo da igreja Cristo na igreja local.

 

2.5 A igreja local desobriga-se de celebrar culto fúnebre (em caso de seu falecimento) ou de emprestar seus móveis para qualquer atividade relacionada a este membro.

 

2.6 Não tendo um parecer de que este irmão esteja gravemente doente, impossibilitado de congregar-se ou falecido, dar-se-á por excomungado.

 

3. Considerações bíblicas.

 

“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.” (Hebreus 10:25).

 

“Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.” (1 João 1:7).

 

“Já em carta vos escrevi que não vos associásseis com os impuros; refiro-me, com isto, não propriamente aos impuros deste mundo, ou aos avarentos, ou roubadores, ou idólatras; pois, neste caso, teríeis de sair do mundo. Mas, agora, vos escrevo que não vos associeis com alguém que, dizendo-se irmão, for impuro, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal, nem ainda comais. Pois com que direito haveria eu de julgar os de fora? Não julgais vós os de dentro? Os de fora, porém, Deus os julgará. Expulsai, pois, de entre vós o malfeitor.” (1 Coríntios 5:9-13).

 

“pois quem come e bebe sem discernir o corpo, come e bebe juízo para si.” (1 Coríntios 11:29).

 

“Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes. Pois entre estes se encontram os que penetram sorrateiramente nas casas e conseguem cativar mulherinhas sobrecarregadas de pecados, conduzidas de várias paixões, que aprendem sempre e jamais podem chegar ao conhecimento da verdade. E, do modo por que Janes e Jambres resistiram a Moisés, também estes resistem à verdade. São homens de todo corrompidos na mente, réprobos quanto à fé; eles, todavia, não irão avante; porque a sua insensatez será evidente a todos, como também aconteceu com a daqueles.” (2 Timóteo 3:1-9).

 

4. As ações da igreja local.

 

4.1 A igreja local tem como ação diante deste fato gerir um trabalho de visitação e averiguação do membro que pratica a autoexcomunhão* confrontando-o e reprendendo-o de seu ato de desigrejar-se. Como ensina a Bíblia:

 

“prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.” (2 Timóteo 4:2-4).

 

“Por que existem muitos insubordinados, palradores frívolos e enganadores, especialmente os da circuncisão.” (Tito 1:10).

 

4.2 A igreja local tem o dever de orar por essas pessoas para elas venham a se arrepender e retornar a comunhão.

 

4.3 Em caso de retorno à comunhão da igreja local a ovelha desgarrada deverá ser recebida pelos irmãos como o Senhor nos recebeu.

 

5. Como sair da uma autoexcomunhão*.

 

5.1 O membro que autoexcomungou deve procurar o pastor titular da igreja local pessoalmente para que seja tratado a sua situação e esse tomará as medidas cabíveis para o seu recebimento e restabelecimento de sua comunhão na igreja.

 

5.2 Caso venha procurar o pastor titular da igreja local para pedir carta de transferência a outra igreja local ser-lhe-á vetada. Entretanto, o pastor titular poderá abençoar sua saída encorajando-o a se congregar corretamente na outra igreja local desejada.

 

NOTAS:

 

(1) A falta consecutiva a três santas ceias já se constitui uma autoexcomunhão*.

 

(2) A falta aos cultos a 8 domingos consecutivos já se constitui uma autoexcomunhão*.

 

(3) O não atendimento as convocações pastorais e do conselho ministerial ao esclarecimento e tratamento de atos incompatíveis de conduta cristã considera-se uma autoexcomunhão* de natureza grave e digna de notificação à igreja local em dia de culto regular e por meio de comunicação dos membros da igreja local: e-mail, contas de rede social, etc.

 

* É o ato de afastar-se da igreja local por conta própria sem que a igreja local tenha o excluído. Desligamento da igreja local sem pedido de carta de transferência para outra igreja. Atitude de um desigrejado.

 

Pr Daniel Durand (ThB.)

Ordem normatvia da Igreja Cristã Gileade Aerolândia