Quem tem que doutrinar a igreja local?

04/05/2018 10:14

Óbvio que é o pastor da igreja local. Assim sendo, todos os pregadores de TV, Internet e rádio não deveriam se meterem nesse serviço. Por isso sou contrário a esses "doutrinadores" virtuais. Por vários motivos:

 

1) Traz confusão para as igrejas locais.
Já pensou nisso? Pois é. Imagine um pregador desse virtual vem com uma teologia que nega a continuidade dos dons. Daí um membro pentecostal que assiste vai ser influenciado por uma doutrina que não condiz com a de sua igreja local. Podemos dar outros exemplos, tipo: calvinistas disseminando calvinismo em igrejas arminianas. Amilenistas disseminando amilenismos em igrejas pré-milenistas. Pós-tribulacionistas disseminando pré-milenismo histórico em igrejas dispensacionalistas. E vice-versa. Enfim, o leque é cumprido de problemas que causam a uma igreja local. E deixam os pastores locais encurralados numa situação vexatória e que poderia ser poupada se tais pregadores virtuais se focassem em proclamar o evangelho de Jesus, fazer apologética cristã e não doutrinar pessoas que nem se congregam em suas igrejas.


Texto bíblicos para reflexão: “porque Deus não é de confusão, e sim de paz. Como em todas as igrejas dos santos,” (1 Coríntios 14:33 ARA).
 

2) Traz heresias para dentro das igrejas locais.
O mesmo se dá com os falsos mestres. Aproveitam-se desses meios de comunicação para disseminarem heresias: teologia da prosperidade, confissão positiva, aniquilacionismo, unicismo, adventismo, sabatismo, sono da alma, monrmonismo, jeovismo, unitarismo, etc. E muitos crentes acabam sendo influenciados. Trazendo grande transtorno ao pastor local para ter que fazer o trabalho de descontaminação dessas heresias. Você tá percebendo a dimensão do problema até aqui? Tá bom ou quer que eu vá mais adiante? Bora!


Texto bíblico para reflexão: “Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem lhe deis as boas-vindas.” (2 João 1:10 ARA).
 

3) Avanço dos desigrejados.
O movimento que mais cresce entre os cristãos é o dos desigrejados. A maior igreja do mundo é de desigrejados. Veja bem, se eles tem a internet, TV e rádio para assistir pregações, transmissão de culto ao vivo, você acha mesmo que eles vão se congregar em alguma igreja local? Lembrando que desigrejado não é só que se reúne em células sem vínculo denominacional. O maior tipo de desigrejados são os andarilhos de igreja em igreja e os solitários, que não vão mais a canto algum. Os pregadores virtuais que doutrinam acabam dando alimento a esse público crescente que chegará o momento em que eles próprios não terão público, mas apenas diretores, cinegrafistas e câmeras.


Texto bíblico para reflexão: “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.” (Hebreus 10:25 ARA).


4) A usurpação do pastor local.
O que o pastor local tem que fazer agora? Ficar remendando as mazelas produzidas por esses irresponsáveis virtuais? Não, mil vezes NÃO! Isso é um desaforo! É o pastor local que tem que doutrinar seu povo. É ridículo a situação do pastor local nesse contexto. Ele vai doutrinar em sua congregação, daí tem sempre um abençoado lá na plateia com a cabeça cheia de doutrinas pré-visualizadas, pré-introduzidas ministradas pelo pregadorzinho virtual. Então, o pastor local, responsável legítimo pela doutrinação, fica diante de uma situação que não precisava ficar. Isso é uma usurpação da função do pastor local.


Texto bíblico para reflexão:  “Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.” (Atos 20:28 ARA).


5) Temos um povo majoritariamente sem base bíblica ou teológica.
Veja bem, uma coisa é um membro local ser um leitor de diversos livros teológicos, ter preparo teológico e com personalidade e caráter formado ponderar eticamente entre o que ouse do pregadorzinho virtual e do seu pastor local. Outra coisa é o povo comum e sem base bíblica ou teológica, caso majoritário, ver e ouvir essas mídias. Não há qualquer filtro aqui. Eles ouvem e assistem de tudo e passa tudo. Um povo sem cultura, que não gosta de ler, somente um livro é lido por ano entre os brasileiros! Os vídeos e áudios desses doutrinadores de plantão cai como bomba dentro da igreja local por meio de seus expectadores. Onde muitos nem pertencem às igrejas desses doutrinadores!


Texto bíblico para reflexão: “Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido.” (Hebreus 5:12 ARA).


6) Abertura de pretexto para o proselitismo.
Finalizo aqui deixando essa exortação: VÃO PREGAR O EVANGELHO cambada de pescadores de aquários! Não resta outra conclusão a não ser o flagrante proselitismo desses doutrinadores virtuais. Uma vez que a responsabilidade de doutrinar é do pastor local, esses pregadores ao invés de pregarem o evangelho ou fazer apologética da fé cristã insistem em doutrinar o público virtual, não resta a conclusão óbvia!


Sob o pretexto do ide de Cristo deixam de enviar missionários para levar as boas novas e diversos lugares do mundo onde as pessoas nem sabem quem é Jesus. Trocando o certo pelo duvidoso. Gastando tempo e dinheiro para produzirem mídias que, de acordo com o que pontuamos aqui, só trazem transtornos a igreja de Jesus.


Texto bíblico para reflexão: “esforçando-me, deste modo, por pregar o evangelho, não onde Cristo já fora anunciado, para não edificar sobre fundamento alheio;” (Romanos 15:20 ARA).


CONCLUSÃO

Não tenho nada contra esses meios de comunicação, sou contra o uso deles para doutrinação. Francamente isso é muito egoísmo! Meu querido irmão, não se deixe levar por estes inconsequentes. Receba doutrinação de seu pastor. Aconselhe-se com ele. Pare de ficar rodando de igreja em igreja, congregue-se em um local mais próximo da Bíblia e que tenha um pastor bíblico, cristocêntrico, que teme a Deus. Com certeza você terá sua vida edificada. Pare de visualizar vídeos de conteúdo doutrinário que não correspondem com o de sua igreja local. Quer aprender Bíblia? Vá para a Escola Bíblica, vá aos cultos da sua igreja. Dessa maneira você deixa de ser condutor de conflitos doutrinários e heresias para o pastor local e nem para a igreja local.
Sr palestrante virtual, cuide de pregar o Evangelho; pare de ficar tocando em assuntos periféricos, foque-se em pregar o Evangelho. Defenda a fé cristã, as doutrinas essenciais desta fé. Deixe os pastores locais trabalharem!


Pr. Daniel Durand (ThB.)

Óbvio que é o pastor da igreja local. Assim sendo, todos os pregadores de TV, Internet e rádio não deveriam se meterem nesse serviço. Por isso sou contrário a esses "doutrinadores" virtuais. Por vários motivos: 1) Traz confusão para as igrejas locais. Já pensou nisso? Pois é. Imagine um pregador desse virtual vem com uma teologia que nega a continuidade dos dons. Daí um membro pentecostal que assiste vai ser influenciado por uma doutrina que não condiz com a de sua igreja local. Podemos dar outros exemplos, tipo: calvinistas disseminando calvinismo em igrejas arminianas. Amilenistas disseminando amilenismos em igrejas pré-milenistas. Pós-tribulacionistas disseminando pré-milenismo histórico em igrejas dispensacionalistas. E vice-versa. Enfim, o leque é cumprido de problemas que causam a uma igreja local. E deixam os pastores locais encurralados numa situação vexatória e que poderia ser poupada se tais pregadores virtuais se focassem em proclamar o evangelho de Jesus, fazer apologética cristã e não doutrinar pessoas que nem se congregam em suas igrejas.
Texto bíblicos para reflexão: “porque Deus não é de confusão, e sim de paz. Como em todas as igrejas dos santos,” (1 Coríntios 14:33 ARA).
2) Traz heresias para dentro das igrejas locais.
O mesmo se dá com os falsos mestres. Aproveitam-se desses meios de comunicação para disseminarem heresias: teologia da prosperidade, confissão positiva, aniquilacionismo, unicismo, adventismo, sabatismo, sono da alma, monrmonismo, jeovismo, unitarismo, etc. E muitos crentes acabam sendo influenciados. Trazendo grande transtorno ao pastor local para ter que fazer o trabalho de descontaminação dessas heresias. Você tá percebendo a dimensão do problema até aqui? Tá bom ou quer que eu vá mais adiante? Bora!
Texto bíblico para reflexão: “Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem lhe deis as boas-vindas.” (2 João 1:10 ARA).
3) Avanço dos desigrejados.
O movimento que mais cresce entre os cristãos é o dos desigrejados. A maior igreja do mundo é de desigrejados. Veja bem, se eles tem a internet, TV e rádio para assistir pregações, transmissão de culto ao vivo, você acha mesmo que eles vão se congregar em alguma igreja local? Lembrando que desigrejado não é só que se reúne em células sem vínculo denominacional. O maior tipo de desigrejados são os andarilhos de igreja em igreja e os solitários, que não vão mais a canto algum. Os pregadores virtuais que doutrinam acabam dando alimento a esse público crescente que chegará o momento em que eles próprios não terão público, mas apenas diretores, cinegrafistas e câmeras.
Texto bíblico para reflexão: “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.” (Hebreus 10:25 ARA).
4) A usurpação do pastor local.
O que o pastor local tem que fazer agora? Ficar remendando as mazelas produzidas por esses irresponsáveis virtuais? Não, mil vezes NÃO! Isso é um desaforo! É o pastor local que tem que doutrinar seu povo. É ridículo a situação do pastor local nesse contexto. Ele vai doutrinar em sua congregação, daí tem sempre um abençoado lá na plateia com a cabeça cheia de doutrinas pré-visualizadas, pré-introduzidas ministradas pelo pregadorzinho virtual. Então, o pastor local, responsável legítimo pela doutrinação, fica diante de uma situação que não precisava ficar. Isso é uma usurpação da função do pastor local.
Texto bíblico para reflexão: “Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.” (Atos 20:28 ARA).
5) Temos um povo majoritariamente sem base bíblica ou teológica.
Veja bem, uma coisa é um membro local ser um leitor de diversos livros teológicos, ter preparo teológico e com personalidade e caráter formado ponderar eticamente entre o que ouse do pregadorzinho virtual e do seu pastor local. Outra coisa é o povo comum e sem base bíblica ou teológica, caso majoritário, ver e ouvir essas mídias. Não há qualquer filtro aqui. Eles ouvem e assistem de tudo e passa tudo. Um povo sem cultura, que não gosta de ler, somente um livro é lido por ano entre os brasileiros! Os vídeos e áudios desses doutrinadores de plantão cai como bomba dentro da igreja local por meio de seus expectadores. Onde muitos nem pertencem às igrejas desses doutrinadores!
Texto bíblico para reflexão: “Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido.” (Hebreus 5:12 ARA).
6) Abertura de pretexto para o proselitismo.
Finalizo aqui deixando essa exortação: VÃO PREGAR O EVANGELHO cambada de pescadores de aquários! Não resta outra conclusão a não ser o flagrante proselitismo desses doutrinadores virtuais. Uma vez que a responsabilidade de doutrinar é do pastor local, esses pregadores ao invés de pregarem o evangelho ou fazer apologética da fé cristã insistem em doutrinar o público virtual, não resta a conclusão óbvia!
Sob o pretexto do ide de Cristo deixam de enviar missionários para levar as boas novas e diversos lugares do mundo onde as pessoas nem sabem quem é Jesus. Trocando o certo pelo duvidoso. Gastando tempo e dinheiro para produzirem mídias que, de acordo com o que pontuamos aqui, só trazem transtornos a igreja de Jesus.
Texto bíblico para reflexão: “esforçando-me, deste modo, por pregar o evangelho, não onde Cristo já fora anunciado, para não edificar sobre fundamento alheio;” (Romanos 15:20 ARA).
CONCLUSÃO
Não tenho nada contra esses meios de comunicação, sou contra o uso deles para doutrinação. Francamente isso é muito egoísmo! Meu querido irmão, não se deixe levar por estes inconsequentes. Receba doutrinação de seu pastor. Aconselhe-se com ele. Pare de ficar rodando de igreja em igreja, congregue-se em um local mais próximo da Bíblia e que tenha um pastor bíblico, cristocêntrico, que teme a Deus. Com certeza você terá sua vida edificada. Pare de visualizar vídeos de conteúdo doutrinário que não correspondem com o de sua igreja local. Quer aprender Bíblia? Vá para a Escola Bíblica, vá aos cultos da sua igreja. Dessa maneira você deixa de ser condutor de conflitos doutrinários e heresias para o pastor local e nem para a igreja local.
Sr palestrante virtual, cuide de pregar o Evangelho; pare de ficar tocando em assuntos periféricos, foque-se em pregar o Evangelho. Defenda a fé cristã, as doutrinas essenciais desta fé. Deixe os pastores locais trabalharem!
Pr. Daniel Durand (ThB.)