Quem somos

Somos uma igreja autônoma, de modelo bíblico "igreja rebanho", de reflexão social sem utopia e sem demagogia, que frisa o discipulado (o ensino), uma igreja moderada, transparente, que vive pela fé, pentecostal equilibrada, que preserva a sua história, uma igreja que faz uso da ética para o bem-estar de nossos relacionamentos com o próximo e com a própria instituição. Velamos pela paz, harmonia, justiça e verdade.
 

Nossa missão local:

"Buscar a restauração de vidas através do poder do Espírito Santo".
 

Nossa visão local:

"Queremos ser uma igreja pentecostal bíblica".
 

Nossa teologia:

Somos uma igreja de teologia...
 
Clássica: Que preza pelos fundamentos já estabelecidos, nos credos: dos Apóstolos, de Cesaréia, de Nicéia, Niceno, Atanasiano e Calcedoniano. Nos cinco pilares da reforma protestante: Sola Fide, Sola Scriptura, Solus Christus, Sola Gratia, e Soli Deo Gloria e nas doutrinas fundamentais explanadas na Teologia Sistemática.
 
Pentecostal: Uma teologia da mesma fé, experiência e prática da Igreja Primitiva, que nasceu no dia de Pentecostes. Firmada nos quatro pilares do movimento pentecostal: Jesus salva, cura, batiza com o Espírito Santo e voltará.
 
Ortodoxa: Que preza pela interpretação correta do texto bíblico. Com base na hermenêutica e exegese.
Somos uma igreja de teologia...
 
  • Clássica: Que preza pelos fundamentos já estabelecidos, nos credos: dos Apóstolos, de Cesaréia, de Nicéia, Niceno, Atanasiano e Calcedoniano. Nos cinco pilares da reforma protestante: Sola Fide, Sola Scriptura, Solus Christus, Sola Gratia, e Soli Deo Gloria e nas doutrinas fundamentais explanadas na Teologia Sistemática.
  • Pentecostal: Uma teologia da mesma fé, experiência e prática da Igreja Primitiva, que nasceu no dia de Pentecostes. Firmada nos quatro pilares do movimento pentecostal: Jesus salva, cura, batiza com o Espírito Santo e voltará.
  • Ortodoxa: Que preza pela interpretação correta do texto bíblico. Com base na hermenêutica e exegese.

Nossa confissão de fé:

Cremos...
 
1. Em um único Deus (Is.45.5), Criador de "todas as coisas" visíveis e invisíveis (Is.44.24; Cl. 1.16-17), atemporal (Is.40.28), ilimitado e imaterial (Jo.4.24), pessoal (Gn.1.26) e Santo (Sl.22.3), subsistente em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo (Mt.3.16,17), onisciente, onipotente e onipresente (Hb.4.13; Gn.17.1; Sl.139.7) e que governa soberanamente todas as coisas (Lm.5.19; Jr.10.23).
 
2. Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão (2Tm.3.14-17).
 
3. Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e sua ascensão vitoriosa aos céus (Is.7.14; Mt.1.20; Rm.8.34 e At.1.9).
 
4. Na pecaminosidade do homem que o destituiu da glória de Deus, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode restaurá-lo a Deus (Rm.3.23; Ef.2.1-3 e At.3.19).
 
5. Na necessidade absoluta do novo nascimento pela graça mediante a fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus (Jo.3.3-8, Cl.3.9,10 e Ef.2.8-9).
 
6. No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At.10.43; Jo.5.24 ; 1Ts.5.9, Hb. 5.9; 7.25 e Rm.1.1).
 
7. No batismo bíblico efetuado por imersão do corpo inteiro uma só vez em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt.28.19; Rm.6.3-6 e Cl.2.12) e na Santa Ceia como ato memorial de sua morte (1Co.11.23-29).
 
8. Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus no Calvário, através do poder regenerador, inspirador e santificador do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas do poder de Cristo (Hb.12.14; 1Ts.5.23 e 1Pe.1.15).
 
9. No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo, com suas devidas evidências, conforme a Sua vontade (Lc.24.49; At.1.5; 2.4,16-18).
 
10. Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade (1Co.12.1-12).
 
11. Na Segunda Vinda pessoal de Cristo, em duas fases distintas. Primeira - invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja fiel da terra; segunda - visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1Ts.4.16-17; 1Co.15.51-54; Ap.19.14; Cl.3.4; Mt.24.30; Zc.14.5 e Jd.14).
 
12. Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo, para receber recompensa de acordo com as obras praticadas por meio do corpo (2Co.5.10).
 
13. No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis (Dn.12.2; Ap.20.11-15).
 
14. Num novo céu e numa nova terra onde habitaremos eternamente com Cristo (2Pe.3.13).

Nossa história:

NASCIMENTO – 1986:
 
A antiga comunidade da Renovação Carismática Católica conhecida como Leão de Judá que residia na casa do casal Antônio Durand & Alzira Durand, converteram-se ao protestantismo evangélico e foram procurar apoio espiritual na Igreja Evangélica Assembleia de Deus Betesda. Que passou a se chamar de “congregação familiar”.
 
O SURGIMENTO DA CONGREGAÇÃO:
 
No dia 15 de junho de 1987 aquela congregação familiar saiu da casa do casal Antônio Durand & Alzira Durand para um prédio alugado. Passando a ser conhecida como congregação filiada a Igreja Evangélica Assembleia de Deus Betesda.
 
O ROMPIMENTO COM A DENOMINAÇÃO ANTERIOR:
No dia 02 de agosto de 2007 o então presbítero Daniel Durand, que havia sido ordenado em março de 2002 como dirigente da Igreja Evangélica Assembleia de Deus Betesda, rompeu com a presidência da mesma, que na época fazia fortes divulgações do Teísmo Aberto e da neo-ortodoxia. Motivo que ratificou a sua saída com outros líderes na Assembleia de Pastores e Dirigentes da Betesda na referida data.
 
A DESFILIAÇÃO DA DENOMINAÇÃO ANTERIOR:
No dia 31 de agosto de 2007 os membros dessa igreja local desfiliaram-se da Igreja Evangélica Assembleia de Deus Betesda, bem como escolherem pela permanência do dirigente Daniel Durand e de todo o patrimônio conquistado e comprado pela comunidade (móvel e imóvel).
 
A FUNDAÇÃO DE UMA NOVA DENOMINAÇÃO:
No dia 07 de setembro de 2007 a Igreja local declarou a sua fundação como igreja evangélica, dando adeus aos ensinos controversos da denominação anterior. Nessa referida data foi lido, aprovado o Estatuto Local e fundada a Igreja Cristã Gileade de Aerolândia.
 
FILIAÇÃO A CIMING:
No dia 01 de outubro de 2007 a Igreja Cristã Gileade de Aerolândia filiou-se a CIMING – Convenção de Igrejas e Ministros Gileade. Instituição reguladora e moderadora da denominação Igreja Cristã Gileade.
 
CRIAÇÃO DO REGIMENTO INTERNO:
No dia 10 de novembro de 2007 a Igreja Cristã Gileade de Aerolândia se reuniu em Assembleia Geral para leitura e aprovação do Regimento Interno local.
 
ATUALMENTE:
Completamos 10 anos, somamos 60 igrejas locais e seguimos em frente com Jesus no coração e centralizados na Bíblia Sagrada. Enviamos missionários ao campo, abrimos congregações na Caponga e Tauape. Anelamos por um Brasil melhor e uma Igreja avivada. Maranata!